segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Prefeito diz que não removerá o totem ‘Sorocaba é do Senhor Jesus’

compartilhar


O prefeito tucano Vitor Lippi disse que não vai remover o totem com a inscrição “Sorocaba é do Senhor Jesus” que se encontra instalado na avenida Marginal, na entrada da cidade. A decisão contraria a Divisão de Áreas Públicas do Município, que havia anunciado a remoção do totem por ser irregular. O prefeito afirmou que houve um “mal entendido”.

Henrique Pinheiro, um dos dois estudantes de direito que questionaram a legalidade do totem junto ao Ministério Público, disse que Lippi recuou por causa de pressão de religiosos.

O próprio prefeito admitiu ter sido procurado por pastores quando um jornal da cidade noticiou a remoção. Ele falou ter sido acordado logo pela manhã por religiosos para que desse uma justificativa. “Eu nem estava sabendo [sobre a remoção]”.

Na avaliação do promotor Jorge Alberto de Oliveira Marum, o totem fere a laicidade do Estado brasileiro. A Constituição determina que nenhuma instância de governo subsidie ou participe de qualquer atividade religiosa. Marum aguarda informações da prefeitura para tomar as providências legais.

Lippi disse ter sido dele a decisão de instalar o totem em 2006. Ele não mencionou que se tratou do atendimento de um pedido feito pelo pastor Carlos Cézar da Silva, na época vereador e atualmente deputado estadual. Cézar estaria por detrás das pressões que fizerem o prefeito recuar.

Lippi disse que mandou erigir o totem para “homenagear as manifestações cristãs”. “Repartições públicas mantêm crucifixos, aqui mesmo na minha sala tem um, a Câmara abre suas sessões com a leitura da Bíblia, o Judiciário também utiliza esses símbolos. Qual é a inconstitucionalidade que existe nisso?” O prefeito disse que vai explicar ao promotor Marum por que manterá o totem.
Fonte: Paulo Lopes | Divulgação: Midia Gospel

domingo, 28 de outubro de 2012

Chuva temporã ou serôdia

compartilhar


A chuva que Deus manda cai sobre justos e injustos. 
Todos ficam molhados. Porém, aqueles que já acreditaram que os seus pecados foram lavados e perdoados por Jesus, continuarão pacientemente a confiar no soberano Deus, seja no sol ou na chuva, na chuva temporã ou na serôdia.

FAZER O BEM

compartilhar


Fazer o bem
não é favor a ninguém
é amor próprio
é doação de si a si mesmo
é partir-se sem deixar de ser inteiro

É ser inteiro sem ser egoísta
parceiro sem perder a individuação

Fazer o bem não é renúncia de tempo
é aproveitar o tempo para redimir-se.

Fazer o bem é uma viagem
viagem sem retorno
dívida sem estorno

Fazer o bem é retornar-se a Deus
fazer o bem é uma viagem de volta pra casa
é volta às origens, à razão da nossa existência
Amadurecer - feito criança.



Júlio Diniz

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Documentário: "A Revelção das Pirâmides" (VÍDEO)

compartilhar

DOCUMENTÁRIO: "A REVELAÇÃO DAS PIRÂMIDES". 

INTRIGANTE E SURPREENDENTE!!



Um investigador solitário, depois de mais de trinta e sete anos de estudos e pesquisas, conseguiu entender e tenta provar o que está por trás do maior conjunto existente de mistérios arqueológicos egípcios - uma mensagem de suma importância para toda a humanidade, através do tempo e do espaço, nas grandes pirâmides do Egito. Da China ao Peru, do Egito ao México, em todo o Oriente Médio - percorrendo os mais antigos sítios arqueológicos do mundo, locais enigmáticos e muitas vezes dotados de grande beleza, o diretor investigou durante seis anos quais as potenciais conexões de tais lugares com as pirâmides de Gizé, no Egito, bem como as principais implicações de teorias que põem em cheque a afirmação dogmática dos egiptologistas, que professam que a Grande Pirâmido, por exemplo, foi construída no período da 4ª dinastia do Egito antigo, com trabalhadores que não tinham a roda, instrumentos de ferro, mas apenas machados de pedras e cinzéis de bronze!


Orientado por seu informante anônimo - um expert em construções antigas - e verificando suas descobertas uma a uma, o autor do documentário utiliza uma abordagem diferente: ao invés de apenas se concentrar no que os egiptólogos dizem, ele procura e mostra a conclusão de renomados engenheiros e arquitetos, ao redor do Globo. O resultado de todo esse trabalho poderá modificar completamente nossa compreensão da história da humanidade, desde como ela se nos tem sido ensinada e, talvez, revolucionar a egiptologia para sempre!


O percurso do documentário é rico em imagens de tirar o fôlego; mostra um salto científico extraordinário e, finalmente, apresenta uma revelação tão inesperada quanto espetacular - uma mensagem legada às gerações futuras por estes construtores misteriosos.... talvez, os proponentes de uma civilização perdida de humanos na pré-história, o que forçaria os escritores de livros históricos a retrocederem as datas convencionais do desenvolvimento humano para dezenas, senão centenas de milhares de anos antes do que propunha a paleo-antropologia tradicional. Vale conferir!



Série Fauna Caiçarense - A Beleza do Maracajá

compartilhar Gato Maracajá

O Gato Maracajá ainda é visto de vez em quando, pois os habitantes da zona rural deixaram de caça-los quando foi proibida a compra e venda de peles.
Bravo e Arisco como seu primo o gato vermelho, só que mais bonito, pois sua coloração se assemelha a onça pintada, embora bem menor.

fonte: Fauna do seridó

CLIMA: Prejuízos da seca já chegam a R$ 5 bilhões no RN

compartilhar
A governadora Rosalba Ciarlini apresentou na manhã desta segunda-feira (22) as ações em execução e as futuras iniciativas para atender as 142 cidades do Rio Grande do Norte que estão em estado de emergência em decorrência da estiagem. Na ocasião, a Governadora falou como a seca vem prejudicando a economia do Rio Grande do Norte. “No início do ano tínhamos a previsão que iríamos ter um ano normal, porém, em março, fomos pegos de surpresa pela estiagem. Já em abril, estivemos reunidos com a presidenta Dilma para fazermos o possível para resolver esse problema. A seca já atingiu no Estado 83% do rebanho bovino e 92% do rebanho caprino e ovino. O prejuízo já chega a R$ 5 bilhões”, explicou Rosalba Ciarlini.

Os representantes do Comitê Estadual de Combate aos Efeitos da Seca, apresentaram as ações emergenciais que já foram realizadas para superar a estiagem. Entre elas: o Seguro Garantia Safra, que em parceria com o Governo Federal está atendendo atualmente 113 municípios do RN, com um total de 37.138 famílias, no qual o valor pago a cada família é de R$ 680 dividido em cinco vezes de R$ 136; a Bolsa Estiagem, que desde julho conta com 43.030 famílias beneficiadas, que estão recebendo o valor R$ 400 divididos em cinco vezes de R$ 80; a distribuição de 7.878 toneladas de forragem para rebanho; o programa de venda de milho em Balcão, realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), onde serão repassados, até dezembro, 64 mil toneladas de milho para o Rio Grande do Norte; e a Operação Carro-Pipa, que está atendendo 89 municípios, num total de 193.902 pessoas.


Fonte: DN Online

O dia de Hoje na História - 24 de outubro

compartilhar


24 de outubro:
Dia Mundial das Missões
Dia da ONU
Dia Mundial do Desenvolvimento
Nesta data em:

1147 – D. Afonso Henriques conquista Lisboa aos mouros.
1930 – Revolução de 30: Getúlio Vargas e suas tropas derrubam a República Velha e o então presidente Washington Luís.
1945 – É criada a Organização das Nações Unidas.

Nasceram neste dia…

51 – Domiciano, imperador romano (m. 96).
1836 – Ramalho Ortigão, famoso polemista português (m. 1915).
1911 – Manuel Martins, artista brasileiro (m. 1979).

Morreram neste dia…

1725 – Alessandro Scarlatti, compositor italiano (n. 1660).
1903 – Júlio Prates de Castilhos, na imagem, governador do Rio Grande do Sul (n. 1860)
1944 – Louis Renault, fabricante de automóveis francês (n. 1877).




fonte: padua campos

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Boato sobre bônus forma filas e congestiona linhas

compartilhar
O texto nas redes sociais disponibilizava até telefone de atendimento, no qual os trabalhadores poderiam checar o valor e a data do recebimento, o que causou bastante transtorno nos locais de atendimento da Caixa

MARCELLO CASAL JR/ABR

O PIS/PASEP é pago anualmente aos trabalhadores que estejam registrados há pelo menos 5 anos

Boato nas Redes Sociais sobre um possível pagamento extra do Programa de Integração Social (PIS), levou um grande número de pessoas às Agências da Caixa Econômica Federal e acabou congestionando as linhas de atendimento da Caixa em todo o Brasil. A mensagem dizia: “todos que trabalharam com carteira assinada durante o período do Governo Lula teriam direito a receber um benefício extra no valor de um salário mínimo (R$ 622)”.


O texto nas redes sociais disponibilizava até telefone de atendimento, no qual os trabalhadores poderiam checar o valor e a data do recebimento, o que causou bastante transtorno. O publicitário Ítalo Castro conta que chegou a ligar para o número. “As atendentes não sabiam informar, o telefone existia, mas era só boato mesmo, não tinha dinheiro nenhum”, revela o publicitário.


Por meio de nota, a Caixa afirmou que “são inverídicas as notícias divulgadas nas redes sociais e outros meios eletrônicos sobre um suposto novo benefício social a ser pago aos trabalhadores”. Ainda segundo a nota, o banco “já adotou providências junto a autoridades policiais para apuração do caso”. Ainda segundo a Caixa, o número Caixa Cidadão ficou sobrecarregado. “Em algumas cidades do interior houve procura, mas os maiores transtornos foram sentidos em outros Estados. Em Fortaleza as pessoas apenas ligaram”.


De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) no Ceará, por meio da assessoria de imprensa, a falsa informação não deve ser confundida com o pagamento anual PIS e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), que começou a ser pago em 1º de Julho. “O único abono existente é abono salarial criado em 1990, instituído através da lei nº 7.998, popularmente conhecido como ‘pagamento do PIS/PASEP’, pago anualmente aos trabalhadores que estejam registrados no PIS/PASEP há pelo menos 5 anos, que tenham trabalhado no ano anterior ao pagamento do benefício com carteira assinada pelo menos 30 dias e que tenham recebido neste período até dois salários mínimos mensais. Este benefício tem o valor de 1 salário mínimo (R$ 622) e está sendo pago de acordo com calendário anual. Lamentamos que estejam se utilizando da boa-fé dos trabalhadores fomentando boatos e atrapalhando nossa rede de atendimento que nos últimos dias recebeu muitas consultas sobre os boatos”, diz a assessoria do MTE por meio de nota.

fonte: O Povo

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

PARA DEUS TODA A GLÓRIA!

compartilhar Ó profundidade das riquezas,

tanto da sabedoria, como da ciência de Deus!

Quão insondáveis são os seus juízos,

e quão inexcrutáveis os seus caminhos!

Porque, quem compreendeu o intento do Senhor?

Ou quem foi seu conselheiro?

Ou quem lhe deu primeiro a ele,

para que lhe seja recompensado?

Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas;

glória, pois, a ele, eternamente. Amén.


Romanos 11:33-36

Cultivo de palma é saída para o semiárido na estiagem

compartilhar
Um volumoso rico em energia e capaz de substituir o milho, mas que é pouco cultivado no Rio Grande do Norte, a palma forrageira é apontada como opção para nutrir os rebanhos ovinocaprino e bovino em períodos de estiagem. Para estimular pecuaristas a adotarem esse tipo de ração, o Sebrae no Rio Grande do Norte promoveu palestra neste sábado (20) sobre o os custos e rendimentos do cultivo intensivo da palma, no Espaço Empreendedor, na Festa do Boi.
A experiência do produtor Alexandre Medeiros foi apresentada aos participantes da capacitação. O agrônomo tem uma propriedade no município de Angicos, na região Central do estado, onde a seca castiga os pastos, e resolveu apostar no cultivo da palma forrageira de forma adensada e com irrigação. Os testes duraram 22 anos, mas o pecuarista chegou a uma forma de manejo adequada dos quatro hectares plantados. Ele consegue obter anualmente mais de 600 toneladas por hectare. Tudo isso utilizando pouca água.
“Com uma adubação favorável e um bom manejo consegue-se alta produtividade. Vejo a palma como uma das principais alternativas de produção de alimentos para o semiárido e uma opção para o pequeno produtor”, sugere Alexandre Medeiros. É com o farelo da palma (desidratada) ou com planta em estado natural que o produtor alimenta dois mil caprinos e 150 cabeças de gado bovino.

FONTE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/cultivo-de-palma-e-saida-para-o-semiarido-na-estiagem/

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Protomártires de Cunhaú e Uruaçú: A versão católica da História

compartilhar


O território são-gonçalense foi banhado com muito sangue, quando no dia 03 de outubro de 1645, ocorreu o Massacre de Uruaçu, onde 28 cristãos foram mortos por índios e soldados holandeses.

Jacob Rabbi, alemão a serviço do governo holandês, vivia com os índios Tapuias, em conjunto com Paraopeba, chefe indígena, convertido ao calvinismo, lideraram o massacre. Durante uma celebração, logo após a elevação da hóstia, soldados holandeses trancaram todas as portas da igreja, já esperando estavam os índios potiguares e tapuias que invadiram o local e mataram os colonos presentes a missa. Foram praticados atos com requinte de crueldade. Alguns tiveram o direito a despedida. A sobrevivência dependia da conversão ao Calvinismo, fato rejeitado. Suas línguas foram arrancadas para que não fizessem orações católicas. Braços e pernas foram decepados, crianças partidas ao meio e muitos corpos degolados, foi o cenário do morticínio, porém todos oraram com muita fé até a morte.

O Padre Ambrósio Francisco Ferro, ainda vivo, foi muito torturado. Mateus Moreira teve seu coração arrancado pelas costas, e mesmo com todo o sofrimento ainda pronunciou “Louvado seja o Santíssimo Sacramento”. Ninguém renegou a Deus e nem a Igreja, morreram com fé e fidelidade.

O processo de beatificação deu início em 15 de maio de 1988, quando Dom Alair Vilar iniciou o estudo sobre os mártires de Uruaçu e Cunhaú, designando posteriormente Monsenhor Francisco de Assis Pereira postulador da causa. No dia 05 de Maio de 2000 ocorreu a beatificação oficializada em Roma, pelo Papa João Paulo II.


Protomartires de Cunhaú e Uruaçu, outra versão da história

compartilhar
Editado do Texto de João Bosco de Souza
A data de 3 de outubro será feriado no Rio Grande do Norte, em comemoração ao Dia dos Mártires de Uruaçu e Cunhaú. 

Entrando um pouco mais fundo na “história”. A grande parte da sociedade e de religiosos só conhecem um lado da moeda… 
 O que na verdade aconteceu? Porque os historiadores laicos divergem da história oficial? 




Não queremos aqui de forma alguma minimizar o massacre, o sofrimento das vidas que foram perdidas naquele local. Isso foi verdadeiro, horrível e inaceitável,  mas devemos ser honestos com a história, não cedendo a pressões religiosas mais deixando a liberdade de pesquisa, de imprensa, registrar a outra face não contada. Esse caso de Cunhaú é extremamente controverso.

Mas reina uma versão aceita pelos leigos e por alguns intelectuais que não buscaram conhecer o outro lado da história. Se na história não podemos eleger nosso herói, não podemos afirmar sobre o bandido, como a “versão” autorizada afirma que foi culpa do governo holandês orientado por um Pastor Evangélico. A história relatada por Cascudo e demais historiadores que defendem que o massacre não foi obra do governo holandês tem uma razão de ser, bem como a minha história.




Ao relatar uma história, não conseguiremos isentar totalmente de nossos pressupostos, inclusive os religiosos. Mas fato deste escritor ser protestante não impedirá e não porá em cheque suas argumentações que devem ser analisadas a partir do viés da história laica . Este site é informativo, de pesquisa e de lazer. Avisando para aqueles que são religiosos que não se fruste diante de fatos que não lhe contaram ou que seja difícil você aceitar. Clique no “X” e visite um outro site, este não é um lugar para você estar.

1 – É preciso entender (ou buscar na história laica) que não foi o governo holandês que ordenou a chacina. Na verdade, a outra versão que fazemos aqui o levante, narra que foi uma vingança por parte dos índios que ali moravam ajudados por uma outra tribo da Bahia. Todos esses, se revoltaram devido notícias da crueldade cometidas pelos portugueses para com os indígenas. No início da revolta (13/6/1645), isso é aceito pela maioria dos historiadores (laicos) que por onde passavam os portugueses e estabeleciam seu domínio, a violência, a morte estavam presente de forma cruel. Os “brasilianos” (como eram chamados os índios tupis) fugiam para bem próximo das fortificações holandesas, que eram difíceis de serem atacadas e destruídas. Outros decidiram evitar o desastre aparentemente inevitável e pegaram em armas. Foi isso que aconteceu em Cunhaú.

“No Rio Grande do Norte, a população indígena consistia em grande parte de índios antropófagos (tapuias), sob a liderança do seu cacique Nhanduí. Para os holandeses, os tapuias significavam um bando de aliados um tanto inconstantes, pois eram um povo muito independente, que não aceitava ordens de ninguém, mas decidia por si o que era melhor para sua tribo. Um tal de Jacob Rabe, casado com uma índia, servia de ligação entre eles e o governo holandês”. (Schalkwijk – 1986).

Os holandeses eram considerados como os libertadores da opressão portuguesa. E, por várias vezes, esses índios quiseram aproveitar-se da situação de derrota dos portugueses para vingar-se da violência anteriorComo acontecera no Ceará em 1637, em 1645 os índios procuraram matar todos os portugueses da região, que foram protegidos pelos holandeses, por meio das armas.. Os tapuias sentiram que, com o início da revolta contra os holandeses, eram eles ou os portugueses. No dia 16 de julho, começaram por Cunhaú, massacrando as pessoas que estavam na capela e posteriormente, numa luta armada, os restantes.

2. O nome do Pastor protestante Rev. Jodocus à Stetten que era capelão do exército holandês está ligado a esse episódio de Cunhaú, é preciso observar e entender que exatamente o contrário do que alguns afirmam, esse pastor foi enviado pelo governo holandês do Recife para acalmar os ânimos dos indígenas. Porém, os índios, não entendiam como os holandeses podiam defender seus inimigos mortais. 3 . É preciso também registrar que esse sim: Como afirma Schalkwijk, o Algoz-mor de Cunhaú: Jacob Rabe alguns meses depois do massacre, esse funcionário da Companhia das Índias Ocidentais, que havia recebido o pastor Jodocus de pistola em punho, foi morto por ordem do próprio governador da capitania do Rio Grande do Norte, Joris Garstman. O capitão Joris era casado com uma senhora portuguesa que havia perdido muitos parentes em Cunhaú. Na história não podemos eleger nossos heróis, mas os inimigos, o algoz, sempre queremos descobrir que o foi. Nesse relato, apresentamos uma outra versão que evidentemente não esclarece de um todo, mas apresenta através de três pontos que a história precisa ser revista.


João Bosco de Sousa – Escritor, Teólogo Cientista da Religião pela UERN. ( Nordestino, nascido em Natal sem familiares holandeses ou calvinistas). (tomando como base o texto de Francisco Schalkwijk – Doutor em história na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo. É autor do livro Igreja e Estado no Brasil Holandês (1986).).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...